quinta-feira, 19 de julho de 2012

Uma Rosa Morreu


rosa morta

Uma rosa morreu, 
Abandadonada no canto de uma sala qualquer,
Foi-se, silenciosmente, sem noticiar seu trágico porvir.

Uma rosa morreu,
Nem mesmo o Colibrí [que a paquerou por um tempo]
Sentiu a falta da flor.

Uma rosa morreu,
Murchou calada em seu canto, [perdeu seu encanto]
Não deu um grito de dor.

E assim ela se foi,
Pétala-a-Pétala,
Perdeu toda sua cor…

Até tornar-se nada,
Deixando no espaço livre,
Um silêncio pertubador...


São Luís / MA, 19 de Julho de 2012

Um comentário:

greice nascimento disse...

Belo, amigo Mano, belo de verdade.

Um grande beijo.