domingo, 30 de dezembro de 2007

CORRO, MAS ADIANTA?

Corro, tenho medo...
Me pergunto, como será?
Não sei, não posso prever...
Corro, tenho medo...
De que tenho medo?
Não sei... talvez do novo...
Olho o limiar do tempo,
Pura invenção humana,
Mas são tais invenções que me dão medo...
O que o novo nos reserva?
Não sei, nunca saberei,
Sempre que ele se aproxima de mim
Transmuta-se em presente,
Nunca continua a ser futuro,
Corro, tenho medo...
O novo se aproxima e à medida
Que se achega a mim me deixa
Tenso sem ter palavras para explicar...
Mesmo que eu corra,
Ele não tardará...
Ele sabe o momento,
E queira eu ou não...
Sim... O Novo Chegará...

___________________________Barra do Corda, 30 de dezembro de 2007

4 comentários:

Stéfanni Brasil disse...

olha, só agora vi que tô nos teus links! *-*

a mudança é inevitável;

Clarissa Anfevi disse...

É... o inevitável infelizmente é inevitável.. fazer o quê.

bj lex.

* João Carlos * disse...

mudar é inevitável, E BOM! pense nisso.

Stéfanni Brasil disse...

"Quando segui sozinho meu caminho, comecei a tremer..." Nietzsche!

não consigo deixa de gostar dele hehehehehe